segunda-feira, novembro 07, 2011

Vou ser mãe, só não sei ainda quando nem como...

Vou ser mãe, só não sei ainda quando nem como...
Esta frase foi criada ao longo dos anos e da minha caminhada pela infertilidade.
Em 2006 quando nos informaram que dificilmente seríamos pais pelos métodos convencionais, percebi que a caminhada rumo à maternidade poderia ser mais longa do que o previsto.

Assim criei o lema: Vou ser mãe, só ainda não sei quando.
Comecei a frequentar o fórum da associação e depressa me dei conta que esta caminhada pode ser mais ou menos curta sem que se perceba muitas vezes o porquê.
No nosso caso havia dois motivos: feminino e masculino.

Em Maio de 2007 fiz 3 anos de casada e "informei" o meu marido, que se dali a um ano não estivesse grávida queria dar início ao processo de adopção.
Como por essa altura em 2008 estava prestes a iniciar tratamento, adiámos a entrega dos papéis para Outubro, e eis que a frase ficou completa e imutável: Vou ser mãe, só não sei ainda quando nem como...
Ser mãe é mais do que carregar um filho na barriga e acima de tudo é criá-lo, dar-lhe amor, prepará-lo para ser adulto, um adulto com valores e de valor para a sociedade.

Toda a gente diz: quando um casal se inscreve para a adopção fica mais descontraído e acaba por engravidar....eis um grande mito.

Mas nisto da infertilidade o que não faltam são mitos: se fores de férias engravidas, se relaxares engravidas, se desistires engravidas...
O certo é que todo o casal infértil anseia mais ou menos secretamente que o milagre ocorra e que o tão desejado filho surja da forma mais natural e expontânea.

Ao fim de 7 ICSI´s falhadas, onde apenas consegui chegar a 3 transferências esse desejo acaba por parecer algo lunático.
Confiamos na medicina e no que ela nos pode dar, pensamos em alternativas diferentes dentro da medicina.

Após ter feito tratamentos em dois centros públicos, eis que tive alta e só me restava o privado.

No mesmo dia em que me foi dito: só há um embrião e que não pode ser transferido, marquei consulta para uma clínica privada.
Estavamos no dia 14 de Julho e obtive marcação para 6 de Setembro.

Entretanto voltei ao trabalho, tentei abstrair-me o mais que podia.
Tinha poupanças para realizar apenas dois tratamentos no privado.
Todos os dias éramos confrontados com más novas da economia, austeridade e mais austeridade, impostos atrás de impostos.

Sempre fui irregular nos ciclos menstruais, e os mesmos sempre foram longos, mesmo após o drilling. Desta forma não foi com surpresa que atingi uma semana de atraso.
O meu sistema nervoso só podia estar a pregar-me mais uma partida.
E eis que 3 dias antes da consulta no privado encontrava-me no 40º dia do ciclo e resolvi dar uso a um teste de gravidez que ainda andava aos tombos lá por casa.

Não estava de férias, não estava relaxada nem tinha desistido do meu sonho!

3 de Setembro de 2011 - duas risquinhas, embora uma muito ténue
- Achas que é mesmo positivo?
- Sim, ou estou no início da gravidez, ou estive grávida e não evoluiu, mas foi detectada a Beta HCG.

Nesse mesmo dia fui à farmácia e pedi o teste com mais sensibilidade que houvesse. Dado que eram todos "iguais" acabei por comprar o da clearblue, que daria em caso de positivo alguma previsão das semanas de gravidez.

4 de Setembro - 2 a 3 semanas deste a concepção, ou seja 4 a 5 de gravidez.
Era domingo...laboratórios fechados...teremos de aguardar por amanhã.

5 de Setembro - DOIS MIL CENTO E NOVENTA E QUATRO

Estava finalmente confirmada a gravidez.
Mas quem conhece estas andanças sabe que ainda falta saber muita coisa, pelo que era importante fazer uma ecografia, ver se o embrião estava no útero, se o coração batia...
Desmarquei consulta no Dr. Alberto Barros e marquei para o primeiro obstetra que faz parte da equipa e que se encontrava livre.

12 de Setembro - acordo com perdas.
Fui à MJD, 5 semanas e 6 dias. Um embrião no útero.
Apesar das perdas respiro de alívio.
É só um e está onde deveria estar.
Recomendação de vida calma, mas continuando a trabalhar e que tome o utrogestan à noite.

13 de Setembro - consulta com médico de família.
Boletim de grávida e no final da consulta o médico diz-me que se o meu trabalho é stressante, se carrego pesos para ponderar a baixa.

15 de Setembro - há vida em "marte"
Na consulta com o Dr. Teixeira oiço pela primeira vez o coração do meu bebé, 129bpm. Estarei de mais um dia que o previsto.

22 de Setembro - consulta na MJD
Dado o meu problema de tiróide tenho consulta de endocrinologia e sou reencaminhada pelo médico para a obstetrícia.
Passei a manhã na maternidade para ter uma consulta, corrida para o trabalho e eis que ao fim do dia volto a ter perdas.
Decidi descansar a ver se passava.

23 de Setembro - urgência na MJD
As perdas continuam, sou vista pela mesma médica das urgências, estou de 7 semanas e 4 dias.
A médica trata-me pelo meu nome e diz: vai ouvir pela 1ª vez o coração do seu bebé.
Apesar de ser a 2ª vez, saber que ele está vivo, que está a resistir emocionou-me e abro literalmente a torneira.
É-me dito para manter a calma, continuar a trabalhar e manter a mesma dose de utrogestan.
Chego a casa e ligo de imediato para o trabalho onde informo que irei ficar de baixa.
O médico de família acabaria por me passar baixa normal.

29 de Setembro - consulta na MJD
Sem eco, sinto alguma falta de confiança na médica, mas foi a que me calhou.
Marca-se eco do 1º trimestre para 20 de Outubro e irei ter ainda consulta de hematologia e de diagnóstico pré-natal.

Perdas a 30/09; 03/10; 06/10 perdas contínuas a 08 e 09 de Outubro.
Recusei-me a ir para as urgências, esperar horas sentada para me mandarem colocar utrogestan e descansar...

11 de Outubro - consulta no privado
Ia de coração nas mãos, mas segundo o médico fiz o que devia ser feito repouso e utrogestan.
Tanto pode acontecer a natureza decidir algo contrário apesar dos meus cuidados, como continuar a ter perdas e não ser nada demais para o bebé.
Após as medições, estou de 10 semanas e 2 dias, e o meu pequenito fartou-se de dar aos pés: mãe, acalma-te lá, oh pra mim aqui tão activo.

20 de Outubro - consulta de endocrinologia, obstetrícia, ecografia do 1º trimestre e análises para rastreio bioquímico
A ecografia foi muito dolorosa, dado que o bebé apesar de se mexer muito não saía da mesma posição e que dificultava as medições.
Aqui a menina teve de levar muita pancada para ele fugir para um local mais visível.

O comprimento da cabeça ao rabo deu: 46,3mm o que apontaria para 11 semanas e 4 dias, e coincidiria com a previsão anterior.
No entanto, no final o resultado foi 12 semanas e 2 dias.
O diâmetro bi-parietal é de 17,2mm e a TN que me estava a stressar foi de 1,1mm, muito longe do limite de 2,5mm que poderia indicar alguma trissomia.
Foi ainda possível detectar os ossos do nariz.
Fiquei mais aliviada, mas apenas o rastreio integrado me irá dizer se devo ou não arriscar a amniocentese.

07 de Novembro - consulta de Diagnóstico Pré-Natal 1/998, decidimos não fazer amniocentese.
O valor a partir do qual se recomenda é 1/250, pelo que estamos muito acima dessa recomendação.
Uma em cada 998 gravidezes tem a probabilidade de trissomia 21, já para a trissomia 18 o risco é < 1/10000.

Continuo de baixa por gravidez de risco, e não sei até quando nem mesmo se regresso ao trabalho antes do parto.
Dia 20 de Dezembro terei a ecografia e consulta das 20 semanas, espero que os sustos tenham terminado e poder começar a sentir-me cada dia mais grávida.

Só agora tenho coragem de contar ao mundo que estou grávida. As pessoas que me foram acompanhando, perguntando pela consulta no privado, questionando o meu silêncio acabaram por ser informadas e a todas pedi segredo.
Neste momento é oficial: estou grávida e muito feliz.

Vou ser mãe (os obstáculos serão ultrapassados e vou conseguir)
só ainda não sei quando (mas prevê-se que seja no dia do trabalhador...mais um touro cá para casa)
nem como (mas nada melhor que da forma mais natural possível, e que todos os casais deveriam conseguir).

Ninguém devia passar pela infertilidade.
Essa parte da minha história não pode ser apagada, nem sequer com uma gravidez expontânea, mas é muito bom saber que os milagres não acontecem só aos outros.
E para aqueles que um dia nos acharam loucos por continuar a acreditar (e eu já não acreditava na natureza, mas apenas na medicina) só resta dizer: eu acredito.

Beijinhos

21 comentários:

CoelhoRuivo disse...

Estou tão contente!!!!
Não te conheço pessoalmente, mas tens um lugar muito especial no meu coração...
Muito Parabéns!!!!
p.s. - mais um aconteciamento especial para o dia 20 de outubro ;-)

Paula F M disse...

:) lindo texto, linda história para continuar a ser escrita e lida!

Marta Casal disse...

Quero acompanhar-te nesta nova viagem:) Bloguinho SEMPRE actualizado:) Queremos saber tudinho, lol.

bjos

Sara disse...

Que história maravilhosa a tua :)
Infelizmente sei o que é a infertilidade, porque também por lá andamos, mas também reconheço essa felicidade de ser brindada com um "milagre" :D
Podes saber mais da nossa história aqui: http://semtioucontigo.blogspot.com/
Beijinhos e muitas felicidades, mamã!!!

soniaq disse...

Mas que grande felicidade Angélica, é tudo o que se quer e deseja.
Toda a felicidade do mundo e goza plenamente a tua gravidez [não sejas como eu] Estou muito feliz por vocês, mil beijinhos nossos.

O texto é lindo :)

belém disse...

Beijinhos, Angélica! :))))))) Pá, nem tenho palavras, fiquei tão feliz! Estou tão feliz! :)

belém disse...

Beijinhos, Angélica! :))))))) Estou tão feliz com a notícia. Nem tenho palavras... :))))))))

Anjinho disse...

parabens amia, Deus te bendiga.
Que flicidade.
bjus mil.

Nanda disse...

Nossaaa que historia!!!
Mais o nosso Deus esta contigo e estara sempre do seu ladooo!!
Meus parabéns mamae e tenho fé e acredito que tudo vai ficar bem (Credite).
Estou te seguindo e quero acompanhar essa barriguinhaaa viu!!
Fico realmente muitooo feliz por vc!!

Um super bjim!

Deise disse...

Nossa que história linda e de muita superação e perseverança, PARABÉNS por não ter desistido do seu sonho, PARABÉNS pela gravidez, PARABÉNS você será mamãe!!!
Conheci seu blog pela Anjinho, ainda não li tudo, mas li o principal, o seu positivo e que o bebê está bem!!
Eu também estou grávida e tive perdas (descolamento), também estou usando ultrogestan de 8/8h, tive uma perda gestacional com 21 semanas e após exatos 03 meses, descobri que estava grávida de novo, tenho uma fé que está irá até o fim.
Vou lhe acompanhar e estou torcendo muito, já deu certo!
Um forte abraço!

Isa disse...

Muitos parabéns minha querida!!!
Vais ser mãe muito em breve e vai tudo correr bem! Daqui a pouco terás o teu pimpolho nos braços!
Muitos beijinhos e a partir de agora vai dando mais novidades!!

Rose disse...

Chorei emocionada de tanta felicidade, por vc querida!
Eu sempre acreditei no milagre de Deus, sempre!!!
Estou nessa luta desde o fim de 2004, e hj com 38 anos, ja se passaram 8 anos....e eu ainda acredito.

É dificil....eu sei.....acreditar depois de tanto tempo né? Mas eis ai o seu milagre mais q merecido!!! Deus te abençoe!!!!

Bkojinhas em vc e no baby

CS disse...

O meu era para ser Balança e saiu Virgem!
Claro que vais ser mãe, querida! Depois é que vão começar os verdadeiros trabalhos e muitas alegrias e lágrimas! E todas nós devíamos ter direito a isso, sem grande esforço! Agora é como te dizia, vai-se superando cada etapa, umas melhores, outras piores, não tenhas é pressa de voltar ao trabalho, quando "estabilizares" de umas maleitas, começa o peso da barriga e outro tipo de cansaço.
Abraço forte.

pandora disse...

estamos todos felizes por ti... os que te acompanham de perto e os que são uns "baldas" e fazem longos silencios...
força ai para os 3 de venha de lá esse touro que o JM quer muitos amigos....

Anónimo disse...

Gostei especialmente do último parágrafo! Muita Força Sea (APF)

woman hope disse...

Parabéns!!!
Revejo-me em muitas situações como as tuas. A minha "luta" também durou 3 anos mas a vida dá-nos provas do que vale a pena tentar :)
Eu vou ter uma "peixinha"!
Tudo de bom!
WH

Alice disse...

Gostei imenso de ler a tua história. deu-me alguma esperança para continuar a lutra.

Quanto a ti, desejo que te mantenhas tranquila e descansa, vais ter o teu bebé!

Beijinho e boa sorte

Maruja disse...

Minha querida, muitos parabéns!! Que notícia maravilhosa!!!
Há bastante tempo que não passava pelo fórum da APF e agora quando lá passei dei pelo teu post e faço questão de te desejar TUDO DE BOM e um resto de gravidez sem sobressaltos e muitas alegrias!
Que boa surpresa!!!

Anónimo disse...

muitos parabens e historias como a tua que me dao esperança de vir a ser mae um dia eu teno 38 anos e nao posso fazer mais tratanentos . e e dificil aceitar . um beijinho e muita força

Lina disse...

Muitos parabéns. dica dificil continar a acreditar quem ja levou tanta "castanhada" mas tu nunca desististe e vais ser recompensada por isso. Muitos parabens e que tudo corra bem é o que te desejo.
beijinhos nossos.

Karina disse...

Bom dia, costumo ler-te mas nunca comentei.
Mas neste caso não podia deixar de te dar os PARABÉNS pela gravidez. :)

Os milagres existem mesmo! :)

Um beijinho muito grande*

http://confissoes-de-umavida.blogspot.com/